Cultura Periférica - Le Monde Diplomatique PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Ter, 04 de Dezembro de 2007 13:23

Leia aqui as colunas de Eleilson leite, coordenador do Espaço de Cultura e Mobilização Social da Ação Educativa, na edição brasileira do jornal Le Monde Diplomatique.

Dezembro de 2008 - No Jd. Santo André  o pulso ainda pulsa
No dia  17  de outubro de 2008  a neblina que normalmente encobre o Jd. Santo André na periferia de Santo André,  ABC Paulista  formou um denso véu    como se fosse um recurso de cena para a tragédia   iminente, cujo desfecho teve transmissão  ao vivo em cadeia nacional. Às seis horas da tarde daquele fatídico dia, Eloá Cristina, uma jovem de 15 anos  foi assassinada pelo seu ex-namorado que a havia mantido em cativeiro por cinco dias em sua própria casa. Numa manhã comum de um dia qualquer no mês de setembro no mesmo  Jd. Santo André, Richard , garoto de 10 anos foi atropelado  por um motorista imprudente que conduzia seu carro em alta velocidade nas estreitas ruas do bairro...

Setembro de 2008 - Primavera dos livros é o avesso da Bienal
Se você  é daqueles que fica sem comer,  mas não deixa de ler. Um sujeito que tem sempre um livro na mão que lhe salva do tédio da fila de um banco, consultório médico  ou na repartição pública. No caminho para casa ou para o trabalho é um livro   que lhe faz companhia no  Metrô, trem ,  ônibus ou mesmo no carro onde ouve um “livro falante”.  Se  acha que o Djavam compôs para você os versos da bela canção: “um dia frio; um bom lugar pra ler um livro…” Então você detesta a Bienal do Livro e não perdeu seu tempo no Anhembi no mês passado  para ver mais do mesmo. Mas se ainda  não sabe, existe um evento que foi feito  na medida para você: A Primavera dos Livros.

Setembro de 2008: Cooperifa: leia o livro,  veja o filme  e  ouça o disco
O Sarau da Cooperifa que acontece todas as quartas feiras no Bar do Zé Batidão, Chácara Santana, periferia da Zona Sul de São Paulo não pára de  surpreender. Não bastasse a ousadia de sua existência e longevidade ( comemoraram sete anos  neste inverno ) esses poetas acabam de ter sua  história registrada em livro e em filme  documentário. Sergio Vaz, criador e criatura deste Sarau lançou no dia 20 de  agosto o livro Cooperifa – Antropofagia Periférica dentro da Coleção Tramas Urbanas da Editora Aeroplano do Rio de Janeiro.

Agosto de 2008 - Literatura da periferia disputa espaço na Bienal do Livro
Desde o último dia 14 de agosto  está acontecendo no Pavilhão de Exposições do Anhembi a 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. O evento que segue até   o próximo final de semana, reúne segundo  os organizadores, 350 expositores, 210 mil títulos   sendo  4 100 deles   lançamentos. Um mega evento totalmente dominado pela lógica de mercado o que significa mais marketing  em torno do produto livro e menos uma celebração de sua expressão cultural. Grandes empresas patrocinam a Bienal   estampando sua marca como identificação   dos auditórios e outros espaços de eventos, reforçando com isso a exploração  comercial  por parte de empresas que nada tem  a ver com livro tais como distribuidoras de combustível, fábrica  de automóveis e   Bancos.

Agosto de 2008 - Gilberto Gil: LadoA e LadoB
Após 23 anos da criação do ministério da Cultura (MinC), somente nesta última gestão foi possível perceber uma efetiva política pública de Cultura no Brasil. Passível de várias críticas, a atuação do cantor e compositor Gilberto Gil, que terminou semana passada, tem como mérito inegável a própria afirmação do ministério. E não se trata apenas de visibilidade, como dizem alguns. Tem carne debaixo do osso. A política de Cultura transcende a esfera do governo e incorpora à dimensão de Estado.

Julho de 2008 - O Hip Hop nunca foi tão pop
Ouviram da Rua Vinte e Quatro de Maio no Centro de São Paulo, de um microsistem surrado, uma batida retumbante e ritmada : tum, tistac, tum, tistac tum . Eram os primeiros sinais da cultura hip hop no Brasil há 25 anos atrás. Ali na esquina com a Rua Barão de Itapetininga, tinha um piso liso redondo de uns 4 metros de diâmetro, em meio ao calçadão áspero e quebradiço. A superfície lisa atraiu os Bboys liderados por Nelson Triunfo. O povo se aglomerava para ver a novidade...

Julho de 2008 - Meu bairro era pobre, mas ficava bem bonito metido num luar
O mundo das letras está em ebulição. Começou nesta semana a FLIP – Festa Literária de Paraty. Vivemos também o advento da 20ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo programada para agosto na qual será entregue Jabuti, principal prêmio literário do Brasil que completa em 2008, sua 50ª edição. Permeiam estes eventos, duas outras efemérides que estão sendo super festejas pela grande mídia...

Junho de 2008 - Plano Nacional de Cultura: realidade ou ficção?
Ministério lança documento ousado, que estabelece, pela primeira vez, política cultural para o país. Dúvida: a iniciativa será capaz de driblar a falta de recursos e a cegueira histórica do Estado em relação à produção simbólica? Coluna convida os leitores a debate e mobilização sobre o tema.

Junho de 2008 - Semeando asas na quebrada paulistana
De como a trupe teatral Pombas Urbanas, criada por um peruano, chegou a mudar o nome do Brasil, trocou os palcos pelas ruas, sofreu a perda trágica de seu criador mas reviveu, animada pela gente forte da periferia — para onde regressou e de onde não pretende se afastar...

Maio de 2008 - Humildade, dignidade e proceder
O lema do futebol de várzea, serviu de título para o editorial da primeira edição da Agenda Cultural da Periferia, publicação da ONG Ação Educativa que neste mês de maio completa seu primeiro ano de existência. Utilizo-me dele aqui nesta Coluna porque não há expressão mais apropriada para identificar a produção cultural da Quebrada. No campinho, aquele clarão preservado em meio à densa ocupação habitacional dos bairros periféricos, se percebe como numa alegoria, a dor e a delícia de se viver nas bordas da Cidade. Sergio Vaz, baluarte da periferia paulistana diz que não faz poesia; “ jogo futebol de várzea no papel”. Quando começamos a fazer a Agenda da Periferia, entendemos o que quis dizer o poeta...

Maio de 2008 - A revolução cultural dos motoboys
Termina neste sábado, 17 de maio, a 1ª Semana de Cultura Motoboy. O evento começou na última segunda-feira no CCPC Centro Cultural Popular da Consolação e conta com uma programação com muita música, intervenções, mostra de filmes e oficinas entre outras atrações. Durante a semana as atividades rolaram sempre à noite e no sábado começará de tarde com workshops e show de encerramento a partir 20h, varando a noite...

Maio de 2008 - Manos e Minas: a periferia no horário nobre
Estreou na ultima quarta-feira, o Programa Manos e Minas na TV Cultura. Transmitido as 19h30 e com duração de uma hora, a atração surge como um dos principais produtos resultados da reformulação geral do Canal após um ano da atual gestão liderada Paulo Markun, presidente da Fundação Padre Anchieta. Além do Manos e Minas, outras novidades surgirão nos próximos meses numa estratégia de retomar o público jovem, segundo declarou Markun à imprensa...

Abril de 2008 - A periferia na Virada e a Virada na periferia
Neste final de semana, 26 e 27 de abril rola em São Paulo , mais uma Virada Cultural. A quarta edição do evento terá 800 atrações, envolvendo cerca de 5 mil artistas durante 24 horas ininterruptas, começando as 18h do sábado com encerramento no mesmo horário do domingo. Tudo de graça e a maior parte ao ar livre. A expectativa da Secretaria de Cultura do Município, organizadora do mega-evento é atrair mais de 3 milhões de pessoas, movimentando em torno de R$ 90 milhões para a Cidade.

Abril de 2008 - A periferia é lugar sagrado para os Guarani
Ao tratar da questão indígena a gente comete tanto erro, seja por desconhecimento ou preconceito e muitas vezes os dois juntos, sendo um resultado do outro. A começar pela forma de se referir a essas populações tradicionais, chamando-as genericamente de índios. Existem povos e nações indígenas. É comum pensarmos também que os indígenas estão desaparecendo, integrando-se à sociedade branca e abandonando sua cultura de forma irreversível. Não é bem assim. No Brasil existe uma população 734 indígenas segundo o IBGE em levantamento de 2000. No censo de 1991 eram 294 mil...

Abril de 2008 - A centralidade da cultura nos processos políticos
“Muitas vezes, uma comunidade extremamente pobre, pode ser culturalmente rica”. Ouvi essa frase do diretor técnico de relações culturais e científicas da Agência Espanhola de Cooperação Internacional, Alfons Martinelli numa palestra por ele proferida nesta semana no Centro Cultural da Espanha em São Paulo. O diplomata espanhol que passava por aqui para participar de evento internacional realizado no Instituto Itaú Cultural, reafirmou com sua fala, nossa crença de que a cultura, vista como central no processo de desenvolvimento humano, pode efetivamente produzir transformações...

Abril de 2008 - Cinema da Periferia é digno dos grandes festivais
Termina neste domingo 06 de abril mais uma edição do Festival É tudo verdade, a mais importante mostra de documentários da América Latina. Criado em 1996 pelo crítico Amir Labaki, o evento chega em 2008 com a impressionante marca de 138 obras na programação, exibidas em 8 salas de São Paulo, além do Rio de Janeiro, Recife, Brasília, Bauru e Caxias do Sul. Paralelamente, cineastas da periferia da Zona Norte de São Paulo realizam o Festival É tudo mentira. A iniciativa não é uma afronta ao grande festival....

Março de 2008 - Arte de rua, democracia e protesto
São Paulo saúda, a partir de 27/3, o grafite. Surgido nos anos 70, e adotado pela periferia no rastro do movimento hip-hop, ele tornou-se parte da paisagem e da vida cultural da cidade. As celebrações terão colorido, humor e barulho: contra a prefeitura, que resolveu reprimir os grafiteiros...

Março de 2008 - Na periferia, toca Raul
No próximo domingo, dia 09 de março vai acontecer a 1ª Mostra Cultural Arte dos Hippies. O evento terá lugar na Praça do Campo Limpo, gema da periferia da Zona Sul de São Paulo. A parada começa as 10h e segue até as 20h. A idéia, segundo a organização do evento é reunir o maior número de “sobreviventes” da cultura hippie, promover uma feira, curtir um som e com isso reiniciar um movimento que teve seus tempos de glória no Brasil nos anos 70. Se nos EUA, os hippies escolheram uma bucólica fazenda no Interior do Estado de Nova York para celebrar a paz e o amor no final da década de 60, a Woodstock paulistana fica num dos picos periféricos mais adensados e conflituosos da Capital. Mas ser hippie hoje em nossa terra, só poderia ser na Periferia. É na quebrada onde a pregação do amor e da liberdade faz mais sentido. Tanto como valor intrínseco às comunidades , como demanda às autoridades. Mas ser hippie é coisa também de quem gosta do Raul Seixas, patrono do evento juntamente com Bob Marley. Nada mais justo essa homenagem ao Raul...

Fevereiro de 2008 - No mundo da cultura, o centro está em toda parte
Tenho abordado aqui os eventos e a produção artística dos que moram nas bordas da metrópole paulistana. Mas nunca me referi a esses artistas como famélicos, excluídos, abandonados ou qualquer adjetivo semelhante. Trato da cultura de periferia por entender que há uma arte sendo produzida nos becos e vielas que, pela densidade, originalidade e contundência, dá sinais de que um movimento está surgindo a partir da periferia. Grifo: a partir da periferia. Ou seja...

Fevereiro de 2008 - Do tambor ao toca-discos
No momento de maior prestígio dos DJs, evento hip-hop comandado por Erry-G resgata o elo entre as pick-ups, a batida Dub da Jamaica e a percussão africana. Apresentação ressalta importância dos discos de vinil e a luta para manter única fábrica brasileira que os produz...

Janeiro de 2008 - O samba une o sagrado e o profano no Carnaval de Pirapora
O carnaval dos sambódromos há tempos vem perdendo o encanto de outrora. Os desfiles tornaram-se um grande negócio e os sambas estão com a qualidade muito questionável. Você se lembra de algum samba do ano passado? Está mais fácil lembrar do candidato em quem votamos na última eleição do que recordar os versos do samba enredo de uma Escola, seja de São Paulo ou do Rio de Janeiro. O mestre Osvaldinho da Cuíca tem dito que agora o que se ouve é “marcha-enredo”. “Está tudo muito parecido, musicalmente pobre”, completa, resignado. E ele tem razão...

São Paulo: A periferia toma conta!

Nesta sexta-feira, dia 25 de janeiro, a cidade de São Paulo completará seus 454 anos. Por conta disso, nos últimos dias, a Mídia tem se ocupado com suas inúmeras comemorações, enaltecendo sempre as mesmas coisas. É o sanduíche de mortadela do Mercadão ou os pratos grã-finos dos restaurantes dos Jardins. A suntuosidade do Teatro Municipal ou a arquitetura moderna do MASP...

2007: a profecia se fez como previsto
Uma década se passou e a profecia anunciada pelos Racionais MC´s vem se confirmando a cada ano. Em 1997 Mano Brown, Ice Blue, Edy Rock e KL Jay trouxeram ao mundo uma obra que marcou o Rap Nacional em definitivo e lançou as bases do que chamamos hoje Cultura de Periferia. Estou falando do CD Sobrevivendo no Inferno....

A dor e a delícia de ser negro
Dia da Consciência Negra desencadeia, em São Paulo, semana completa de manifestações artísticas. Nosso roteiro destaca parte da programação, que se repete em muitas outras cidades e volta a realçar emergência, diversidade e brilho da cultura periférica...

No meio de uma gente tão modesta
Milhares de pessoas reúnem-se todas as semanas nas quebradas, em torno das rodas de samba. Filho da dor, mas pai do prazer, o ritmo é o manto simbólico que anima as comunidades a valorizar o que são, multiplica pertencimentos e sugere ser livre como uma pipa nos céus da perifa...

Onde mora a poesia
Invariavelmente realizados em botecos, os saraus da periferia são despojados de requintes. Mas são muito rigorosos quanto aos rituais de pertencimento e ao acolhimento. Enganam-se aqueles que vêem esses encontros como algo furtivo e desprovido de rigores

O biscoito fino das quebradas
Semana de Arte Moderna da Periferia começa dia 4/11, em São Paulo. Programa desmente estereótipos que reduzem favela a violência, e revela produção cultural refinada, não-panfletária, capaz questionar a injustiça com a arma aguda da criação

A arte que liberta não pode vir da mão que escraviza
Vem aí Semana de Arte Moderna da Periferia. Iniciativa recupera radicalidade de 1922 e da Tropicália, mas afirma, além disso, Brasil que já não se espelha nas elites, nem aceita ser subalterno a elas. Diplô abre coluna quinzenal sobre cultura periférica



Última atualização em Qua, 17 de Dezembro de 2008 10:07