Seminário em Santos discute Educação de Jovens e Adultos PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Sáb, 21 de Julho de 2007 21:00
Idéia é proporcionar um espaço de debates sobre o tema envolvendo  educadores e educandos que atuam na EJA no município de Santos

Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação – SME de Santos, o programa de Educação de Jovens e Adultos – EJA da Ação Educativa, promove, nos dias 26 e 27 de julho, um seminário sobre o tema. “Pretendemos com isso estimular o debate sobre Educação de Jovens e Adultos na cidade”, explica Milena Mateuzi Carmo, coordenadora de formação do programa. 

Durante o primeiro semestre, a Ação Educativa ofereceu um curso de formação em Santos. O curso contou com a participação de cerca de 100 professores sendo 30% educadores de EJA, e os demais, educadores do ensino infantil, fundamental e médio da rede pública. “Foi uma experiência muito interessante porque expressou que mesmo os professores que não atuam na área, se interessam muito pela Educação de Jovens e Adultos”, avalia Milena. No entanto, a partir de avaliação feita pela Ação Educativa juntamente com a SME de Santos, chegou-se à idéia do seminário. “Consideramos que seria importante não só compartilhar com os professores da EJA as questões que foram discutidas na formação, como também começar a discutir coletivamente os princípios da EJA no Município”, completa. 
 
De acordo com Milena, os professores de EJA que participaram do Seminário de apresentação do curso em 22 de fevereiro de 2007 manifestaram insatisfação em relação ao horário de oferecimento das aulas, aos sábados, e declararam que não participariam, já que não haveria nenhuma espécie de incentivo – pontuação ou remuneração.

O curso dispôs de recursos financeiros oriundos do programa Fazendo Escola da Secretaria do Ministério da Educação de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade – SECAD, que determina que as aulas sejam ministradas em horários coletivos de trabalho dos professores ou encontros aos sábados, não comprometendo sua atuação em sala de aula. Com isso, a SME de Santos optou pela segunda alternativa, pois a formação durante os trabalhos coletivos seria inviável uma vez que essas reuniões são muito fragmentadas e muitos professores não participam devido a carga horária duplicada entre município e estado.

“Apesar dessa posição dos professores a equipe da coordenação de EJA do município decidiu dar prosseguimento à formação, pois acreditavam que surgiriam  professores interessados. Foi o que aconteceu”, pontua Milena.

Para o encontro em julho, são esperadas 360 pessoas, entre educadores e educandos. Os estudantes poderão participar de grupos de trabalho que discutirão suas expectativas e avaliações em relação às aulas e também de oficinas culturais de literatura periférica, teatro, danças brasileiras, contação de histórias e artes plásticas. Os educadores, por sua vez, se dedicarão, nos dois dias, a discussões e trocas de experiências sobre EJA no que se refere à Educação de Jovens e Adultos e os direitos Educacionais, currículo para a EJA, a questão da Inclusão na EJA, heterogeneidade nas classes, etc.

Última atualização em Sex, 27 de Julho de 2007 13:19
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar