Cidade de Bebedouro aplica Indicadores de Qualidade na Educação em rede de ensino PDF Imprimir E-mail
Qui, 30 de Setembro de 2010 13:47


O Projeto Indicadores de Qualidade na Educação - desenvolvido pela Ação Educativa com diversas parcerias nas cidades paulistas de São José dos Campos, Bauru, Santos, Ourinhos - chegou recentemente a Bebedouro. A primeira etapa do Projeto na cidade aconteceu em setembro, quando foram realizados dois dias de reuniões com a equipe do Departamento Municipal de Educação e Cultura (DEMEC) e os gestores das escolas, para a apresentação do projeto e vivência da metodologia Indique.

Em novembro serão realizadas as avaliações participativas em todas as instituições públicas municipais de educação infantil e ensino fundamental da rede de ensino de Bebedouro. A partir daí, serão elaborados planos de ação de cada uma das escolas e da equipe da DEMEC que utilizará esse plano como subsídio para a política educacional do município.

A metodologia do projeto permite a participação da comunidade escolar (pais, funcionários, alunos e todo o corpo docente) na construção do plano de ação de cada escola. Segundo Paulo Neves, assessor do Projeto, “este processo permite a participação dos diferentes atores que muitas vezes participam do dia a dia da escola, mas não encontram um espaço formal para dar sua contribuição individual na construção coletiva de planos de ação”.

O projeto tem como principal objetivo potencializar o uso de indicadores qualitativos pelas redes de ensino, por meio de secretarias e departamentos de educação, para a elaboração de estratégias e ações que qualifiquem o ensino público no município e que integrem toda a comunidade escolar no cotidiano da instituição.

Leia mais sobre os Indicadores da Qualidade da Educação


Saiba como está o projeto nas outras cidades

São José dos Campos

Em parceria com a Embraer, o projeto completa cinco anos de existência na cidade, por meio do Programa Ação na Escola. Somente este ano, nove escolas foram premiadas com o valor de R$ 30 mil para desenvolverem seus projetos elaborados a partir da utilização do Indique. São avaliadas a inovação, originalidade, consistência do plano e coerência do planejamento com a metodologia do projeto.

Neste momento, uma pesquisa está sendo realizada para avaliar e potencializar os resultados desta parceria em 140 escolas que já participaram do projeto nas regiões de São José dos Campos, Caçapava e Gavião Peixoto. São entrevistas presenciais, questionários web e análise da dados secundários que permitirão traçar os resultados de quatro anos de parceria.

Santos, Bauru e Ourinhos

Em parceria com o Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC), a Ação Educativa participa do Projeto Aula Fundação Telefônica em 28 escolas nestas três cidades.

 A partir da publicação “Retratos do Trabalho Infantil”, a Fundação Telefônica diagnosticou as escolas nas quais estudam crianças e adolescentes atendidos pelo Programa Pró-Menino e financia projetos educativos nessas escolas para melhorar a qualidade de ensino e consequentemente diminuir o índice de trabalho infantil.

Em Bauru e Santos, oito escolas já participam do projeto desde 2009 e outras sete ingressaram em 2010. No primeiro ano, quatro escolas de Bauru iniciaram sua participação no Projeto, enquanto que outras quatro unidades ingressaram somente em 2010. Em outubro, estas últimas realizarão suas respectivas avaliações participativas e, em novembro, haverá uma oficina centralizadas para socialização dos resultados e elaboração da primeira versão dos planos de ação.

 Especificamente no caso de Santos, são sete escolas participantes, quatro ingressantes em 2009 e três em 2010. Além dessa diferença quantitativa, houve uma mudança na organização do Projeto devido, de um lado, à demora na assinatura de contrato entre FT e Secretaria Municipal de Educação e, de outro, ao calendário apertado no segundo semestre. Com isso, as avaliações participativas ficarão para o próximo ano.

Com relação às escolas acompanhadas desde 2009, “seus planos de ação já foram consolidados em oficinas centralizadas com profissionais das escolas e ONG parceiras e em reuniões nas escolas com grupos maiores e mais diversificados, inclusive com conselheiros escolares e estudantes; atualmente, estamos em outro pé, que é avaliar processos e resultados advindos da implementação do plano”, segundo Luis Serrao, assessor do projeto na Ação Educativa.

Em Ourinhos, as avaliações participativas, que envolveram mais de 1.200 pessoas, já foram realizadas e em outubro será elaborada a primeira versão do plano de ação. O projeto começou com oito unidades e, a partir de uma proposta da Secretaria de Educação, os indicadores são trabalhados hoje nas treze escolas de ensino fundamental da rede de ensino da cidade.

Para Claudia Bandeira, coordenadora do projeto na Ação Educativa “além da metodologia do Indique agregar participações da comunidade escolar no planejamento pedagógico, ela qualifica e fortalece as reivindicações das redes e das escolas por políticas educacionais que garantam um ensino público de boa qualidade”.



 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar