Confira os temas que devem ser destaque na educação em 2010 PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Ter, 22 de Dezembro de 2009 06:42
Na mídia, ainda há assuntos invisíveis e temas que merecem uma abordagem mais aprofundada. Confira as pautas relacionadas à educação que devem ganhar destaque no próximo ano.


Na cobertura sobre educação na imprensa, ainda há assuntos invisíveis ou temas que merecem uma abordagem mais aprofundada. Para auxiliar a cobertura da imprensa em 2010, o Observatório da Educação elaborou um conjunto de sugestões de pautas relacionadas à educação e que devem ganhar destaque no próximo ano. Confira a relação de temas e fontes!

Mais detalhes, no Portal do Observatório da Educação

Conferência Nacional de Educação - Conae 2010

Está em processo de construção nos estados e municípios a Conferência Nacional de Educação – Conae 2010, que terá sua etapa nacional entre 28 de março e primeiro de abril do próximo ano. O objetivo é tematizar a educação escolar, da Educação Infantil à Pós Graduação, por debates democráticos e formulação de propostas em escolas, municípios, Distrito Federal, estados e país. São dois os principais temas: a construção de um Sistema Nacional Articulado de Educação; e a elaboração do novo Plano Nacional de Educação, que deve vigorar de 2011 a 2020.

Em um portal desenvolvido para auxiliar a participação na conferência, http://conae.mec.gov.br/, o MEC disponibiliza contatos para entrevistas.

No Banco de Fontes do Observatório da Educação, é possível obter contatos de pesquisadores de diferentes áreas, e que podem abordem a Conae em perspectivas variadas (leia aqui).

Plano Nacional de Educação

O plano, que definirá os rumos da educação brasileira de 2011 a 2020, será instituído por projeto de lei a ser votado no Congresso Nacional em 2010. O processo de construção do PNE está sendo debatido em espaços como as conferências preparatórias para a Conae.

Ensino obrigatório dos 4 aos 17 anos

Com a aprovação da PEC 277/08 – que dispõe sobre a obrigatoriedade do ensino dos quatro aos 17 anos e sobre o fim da Desvinculação das Receitas da União em Educação (DRU) – é importante a fiscalização de como vai se dar o cumprimento da medida e o direcionamento dos recursos. O observatório da Educação fez entrevistas sobre o tema ao longo do ano. Leia aqui.

No Banco de Fontes, há relações de especialistas em ensino médio, educação infantil, e orçamento (veja aqui).

Balanço da implementação do Ensino Fundamental de 9 anos

O prazo de adaptação à implementação da política nacional de ampliação do Ensino Fundamental, decorrente da Lei n.º 11.274/06, termina em 2009. É de extrema importância o acompanhamento a ser realizado pela imprensa sobre o tema, e a divulgação da visão do professorado a esse respeito, pela possibilidade de conhecer o modo como os profissionais da rede avaliam o processo.

No Banco de Fontes, o Observatório da Educação disponibiliza uma relação de profissionais da educação básica dispostos a dar entrevistas, bem como de especialistas em ciclos e progressão continuada, que podem tratar da organização curricular do ensino fundamental (veja aqui).

Educação especial

Em 2009, o MEC homologou o parecer nº 13 do Conselho Nacional de Educação (CNE), que torna obrigatória a matrícula de pessoas com deficiência no ensino comum, com a possibilidade de o aluno frequentar o atendimento educacional especializado no contraturno. Com isso, deve aumentar o número de matrículas de crianças com deficiência no ensino regular, processo que deve ser monitorado.

O Banco de Fontes tem uma seção com especialistas em educação inclusiva (confira aqui).

Educação nas prisões

O Conselho Nacional de Educação está analisando as Diretrizes Nacionais para a Oferta de Educação nos Estabelecimentos Penais. Em 8 de fevereiro deve ser realizada uma audiência pública sobre o tema em Brasília. A sociedade civil organizada reivindica que as diretrizes sejam aprovadas em 2010.

Lei da Mordaça

Foram revogados, em setembro de 2009, os artigos do Estatuto do Funcionalismo Público do Estado de São Paulo que impediam a livre manifestação de opinião do professorado e demais servidores pela imprensa. A chamada lei da mordaça caiu em SP, mas persiste em outros 17 estados e muitos municípios, como a capital paulista. Além da necessária pressão social para a revogação da lei onde ela persiste, também é importante que jornalistas ouçam e estimulem o a participação do professorado no debate público sobre educação.

Plano nacional para a implementação da lei 10.639

Para cumprir com a legislação que trata do ensino da história e cultura afro-brasileira e africana nas escolas da rede básica, a Seppir elaborou, em parceria com outros ministérios e a sociedade civil, um plano nacional de implementação da lei 10.639. A imprensa pode contribuir com o acompanhamento de como os sistemas de ensino estão atuando na implementação da matéria. Leia aqui sobre o tema.

No Banco de Fontes, há uma relação de especialistas em Educação e relações raciais. Veja aqui.

Plano de Educação da Cidade de São Paulo

A cidade de São Paulo iniciou, em 2008, o processo de construção coletiva do Plano de Educação da Cidade de São Paulo. Em seu documento-base, estão previstas várias etapas de mobilização para a discussão de diretrizes de médio e longo prazo para a educação da cidade. O Plano estabelece qual educação queremos ter a daqui dez anos e como poderemos alcançá-la. Os jornalistas da capital paulista podem contribuir com a construção do plano pelo acompanhamento das atividades e estímulo aos debates. Já a imprensa de outras localidades pode verificar se sua cidade já possui um plano ou está em processo de adotá-lo, uma vez que o Plano Nacional de Educação prevê que estados e municípios construam seus planos de metas decenais.
Última atualização em Ter, 22 de Dezembro de 2009 06:45
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar