Núcleo de Estudos “Educação de Jovens e Adultos: insumos, processos e resultados” PDF Imprimir E-mail
Educação de Jovens e Adultos

O objetivo geral desta iniciativa é desenvolver e dar visibilidade a estudos avaliativos de qualidade, que abordem problemas relevantes da EJA no Brasil, provendo educadores e gestores com evidências consistentes de como fazer valer os direitos educativos de pessoas jovens e adultas por meio de políticas e práticas pedagógicas eficazes.

Atualmente, por meio de convênio com o INEP/MEC, estão sendo desenvolvidos os seguintes projetos de pesquisa:

• O Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e Adultos – ENCCEJA: seus impactos nas políticas de EJA e nas trajetórias educacionais de jovens e adultos. Saiba mais sobre a pesquisa.

• O Projovem Urbano: seus impactos nas políticas de EJA e Juventude e na trajetória educacional dos jovens. Saiba mais sobre a pesquisa.

• O impacto da inclusão da EJA no Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica FUNDEB – no Estado de São Paulo. Saiba mais sobre a pesquisa.

• Escolaridade e competências básicas: análise de seus impactos sociais, culturais e econômicos na perspectiva das desigualdades de gênero e raça (bases de dados do INAF – Indicador Nacional de Alfabetismo Funcional e Censos Escolares). Saiba mais sobre a pesquisa.

Os resultados dos projetos serão colocados à disposição em Biblioteca Digital por meio de textos integrais e resumos analíticos com cuidadosa crítica metodológica e fácil identificação de resultados e recomendações. Além disso, destacar-se-ão os diferentes pontos de vista a serem considerados nas avaliações, de modo a fomentar o amplo debate de seus resultados, sempre na perspectiva de democratizar e qualificar os processos de tomada de decisões políticas e pedagógicas na área de EJA.

Além desta iniciativa em parceria com o INEP/MEC, a Ação Educativa já realiza desde 2001 a pesquisa Indicador de Alfabetismo Funcional (INAF), que mesclou as expertises, de um lado, da Ação Educativa na área de educação de pessoas jovens e adultas e, de outro, do Instituto Paulo Montenegro na área de pesquisa e estatística. Para formulação dessa metodologia, o INAF também contou com a assessoria de pesquisadores(as) de diferentes universidades e centros de educação e pesquisa.

O objetivo principal desta iniciativa é gerar informações que ajudem a compreender e orientar a formulação de políticas educacionais e propostas pedagógicas para esta modalidade. Em linhas gerais, a metodologia se propõe a mensurar habilidades e práticas de leitura, escrita e processamento de informação numérica da população brasileira de 15 a 64 anos, com base em pesquisas bianuais junto a amostras nacionais abrangendo tanto zonas urbanas quanto rurais de todas as grandes regiões brasileiras. A cada dois anos, duas mil pessoas jovens e adultas de todo o território nacional respondem a entrevistas e testes cognitivos de modo a consolidar informações e aprofundar a compreensão sobre os níveis de alfabetismo da população.

Os relatórios com a evolução do índice desde a primeira edição podem ser acessados na íntegra a partir da página eletrônica da Ação Educativa e do Instituto Paulo Montenegro.