Juventude, Trabalho e Educação
Boletim Juventude na Cena debate orçamento e participação democrática PDF Imprimir E-mail
Ter, 13 de Outubro de 2009 13:48
Juventude na Cena traz algumas contribuições para incentivar esse debate


Com 60% dos votos válidos, Gilberto Kassab (DEM-SP) foi eleito para o mandato 2009-2012. Durante a campanha, ele apresentou à população suas “diretrizes preliminares”, sendo muitas delas formuladas como ações dirigidas à população jovem: implementar escolas técnicas nos Centros Educacionais Unificados (CEUs);  construir três novos Centros Culturais da Juventude (CCJ); criar mecanismos de inserção profissional para jovens de mais baixa renda...

Como determina a Emenda nº 30 da Lei Orgânica do Município, em 31 de março, a atual gestão apresentou o Programa de Metas da Cidade de São Paulo, batizado de Agenda 2012. Neste documento, a Prefeitura se compromete efetivamente com a formação de 8.200 alunos em “cursos técnicos” e “capacitação” de 100 mil em cursos presenciais e à distância. Não há especificações sobre o público ou menção se serão realizados nos CEUs.

Estão previstas a construção de centros de apoio ao trabalhador e de um sistema de intermediação de mão-de-obra on-line, mas, mais uma vez, especificidades para garantir a inserção de moças e rapazes da cidade não são explicitadas. Encontramos também a meta de três novos centros culturais, sendo dois deles na Zona Leste (Cidade Tiradentes e Itaquera), mas neste documento a semelhança ou inspiração no CCJ desaparece.

Nossa avaliação é de que o Programa de Metas esclarece pouco como a Prefeitura pretende atuar na garantia de direitos dos jovens e somente o debate e a mobilização públicos podem avançar nesse sentido.

Este número do boletim Juventude na Cena traz, então, algumas contribuições para incentivar esse debate no que diz respeito a dois aspectos igualmente importantes: o do orçamento e o da participação democrática dos cidadãos.

Na seção Entrevista, o economista Odilon Guedes aborda a importância de a sociedade civil acompanhar o Plano Plurianual de Ação (PPA) para o exercício de 2010-2013, uma vez que é ele que orienta o conjunto das políticas e, principalmente, o orçamento destinado para a execução delas no intervalo de quatro anos. Como ressalta Odilon Guedes, é no PPA que a gestão pública explicita seus compromissos, tendo em vista que não existe política sem recursos.

A seção Cena 1 traz as opiniões da pesquisadora Regina Novaes e do vereador de São Paulo Netinho de Paula (PCdoB) acerca de um controverso assunto: a criação de um fundo público de políticas para jovens.

Por fim, Djalma Lopes Góes, do Núcleo Cultural Força Ativa, em Artigo, relata as dificuldades de diálogo, os contingenciamentos e mudanças que permeiam a construção de uma casa de hip hop em Cidade Tiradentes, traduzida pela atual gestão pública numa proposta de centro cultural.

Acesse aqui a versão completa do Juventude na Cena n° 12
Última atualização em Qua, 14 de Outubro de 2009 09:40
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar