Ação em Rede
Mostra Cultural da Cooperifa: criatividade e vibração PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Sex, 28 de Novembro de 2008 13:04


O sarau que acontece todas as quartas feiras no Bar do Zé Batidão é apenas a mais visível das iniciativas da Cooperifa, um movimento que há mais de sete anos realiza atividades artísticas, culturais e educacionais por toda a periferia paulistana. Liderados por Sergio Vaz, os poetas agora abriram mais uma frente de atuação: a Mostra Cultural da Cooperifa, evento realizado entre os dias 18 e 23 de novembro na Zona Sul de São Paulo e que contou com a parceria da Ação Educativa.

Em sete dias, as regiões do Campo Limpo e do Jardim São Luiz receberam um presente mais do que merecido para essa região onde moram 450 mil pessoas que se espremem em apenas 48 km2 de território.

Juntos, esses dois distritos formam uma região tão densamente povoada que, se fosse uma cidade, estaria entre os 70 maiores municípios do Brasil. Uma cidade sem teatro, cinema, livrarias, galerias de arte e museus. Mas não uma cidade sem cultura. A falta de equipamentos e políticas públicas fez nascer uma arte nas ruas, escolas, igrejas, galpões e nos botecos, como é o caso da Cooperifa. Essas manifestações, porém, são invisíveis às estatísticas e ficam ignoradas pelo poder público e pelas pessoas que vivem distantes das quebradas.

A fim de ressaltar essa arte periférica, a Mostra Cultural da Cooperifa colocou no mapa das artes de São Paulo uma produção cultural criativa e vibrante. Uma arte que não tem distinção entre popular e erudito. Uma arte feita por um artista que tem a cara do público que o assiste.  

A Mostra Cultural da Cooperifa veio para ficar. Ela manteve no ar a energia da Semana de Arte Moderna da Periferia que aconteceu em 2007, e trouxe um novo conceito. O evento do ano passado era de afirmação. Este agora é também de afirmação, mas acrescenta a dimensão do desenvolvimento artístico como ponto central de sua concepção. A Mostra Cultural também buscou aproximar grupos periféricos de artistas do Centro, promovendo um diálogo promissor. Cerca de 3,5 mil pessoas participaram dos debates, mostras, apresentações artísticas entre outras atividades numa grande celebração em nome da arte e da cidadania.

Por Eleilson Leite
Coordenador do Programa de Cultura da Ação Educativa



 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar