Ação em Rede
Assembléia da Ceaal: A educação popular está viva! PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Seg, 22 de Setembro de 2008 12:01
Evento realizado na Bolívia discutiu a conjuntura da educação popular na América Latina e elegeu a nova coordenação do Conselho para os próximos quatro anos.

 
A educação popular está viva. Esse foi o sentimento daqueles que participaram da 7ª Assembléia geral da CEAAL (Conselho de Educação para Jovens e Adultos da América Latina), realizada entre os dias 25 e 29 de agosto, em Cochabamba, Bolívia. O evento contou com a presença de 135 representantes dos cerca de 100 centros locais da região, que discutiram a conjuntura política e de educação popular da região, fizeram um balanço da gestão atual e elegeram a nova coordenação do Conselho para o quadriênio 2009-2012.

Marcos José Pereira da Silva, educador, coordenador administrativo e financeiro da Ação Educativa e consultor em planejamento e elaboração de projetos, representou a organização em Cochabamba. Ele conta que a assembléia reafirmou a importância da educação popular para a transformação da região, impulsionada pela ação dos movimentos sociais e os processos de participação cidadã e incidência em políticas públicas.  

"Ficou evidente que Educação popular é Educação de Jovens e Adultos, mas também é um espaço onde há a aprendizagens políticas e pedagógicas de modo crítico e autocrítico", conta Marcos. Ele deu como exemplos a realização de oficinas culturais, de formação e sobre a questão de gênero junto aos movimentos sociais. “Não há transformação sem conhecimento transformador”, afirma. E hoje, na América Latina, isso está vivo.

Outro ponto discutido na assembléia foi a importância de articular as estratégias de incidência em políticas públicas junto com a mobilização social. “Fazer pressão política sem envolver a sociedade não dá resultado”, diz o coordenador.

Balanço positivo

A assembléia também serviu para fazer um balanço sobre a gestão atual e eleger a coordenação para os próximos quatro anos. “A gestão conseguiu garantir uma gestão democrática e descentralizou as decisões”, afirma Marcos.

O novo Comitê Diretivo, eleito para coordenar o Conselho entre 2009 e 2012, marca uma novidade: pela primeira vez a presidência da Ceaal será ocupada por uma mulher, a educadora peruana Nélida Céspedes. E, de toda a coordenação Executiva, há cinco mulheres para dois homens. O Comitê ficou com a seguinte composição:

Nélida Céspedes (Presidenta), Raúl Leis (Secretário Geral reeleito), Celina Valadéz (Tesoureira), Rosa María Goldar (Fiscal) e Miguel Faruk (Fiscal suplente). Como Coordenadores das Regiões, foram eleitos José Luis Álvarez (México), Francisco Cabrera (América Central), Aida Cruz (Caribe), Marisabel Paz (Andina), Helena Bins (Brasil) e Edgardo Álvarez (Cone Sul). E, para Coordenadores de Programas e Redes: Diamantina López (Programa de Direitos Humanos), Diego Herrera (REPPOL) e Óscar Jara (Programa Latino-americano de Sistematização). São presidentes honorários o brasileiro Pedro Pontual e a cubana Nídia González.

Última atualização em Seg, 22 de Setembro de 2008 12:38
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar