Ação na Justiça
Ação Educativa é premiada no 2° Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Qua, 15 de Dezembro de 2010 14:25
Experiência do “Curso Cidadania e Direito à Educação” se destacou entre os mais de 200 concorrentes inscritos na iniciativa.


Em sua segunda edição realizada em 2010, o bienal Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos premia iniciativas – públicas e privadas – que contribuem para o desenvolvimento – por meio de práticas educacionais - de uma cultura de direitos no país, a partir da mudança de mentalidades e de práticas individuais e coletivas.

A Ação Educativa foi premiada com o 2° lugar na categoria “A Sociedade na Educação em Direitos Humanos”, com a experiência do “Curso Cidadania e Direito à Educação”, que teve como objetivo difundir a noção de que educação é um direito; formar defensores populares do direito à educação de qualidade e potencializar a capacidade de atuação de todos – participantes e organizadores – nesta luta.

Em agosto, à conclusão do Curso, 40 dos 70 participantes foram convidados a formar uma rede que se articula via internet e promove reuniões presenciais periódicas com o objetivo de dar continuidade à formação iniciada e se integrarem às ações de defesa jurídica do direito à educação promovidas pelo Programa Ação na Justiça.

Segundo Salomão Ximenes, coordenador do Programa e responsável pela iniciativa, "a premiação é um reconhecimento do trabalho de educação jurídica popular para a defesa do direito à educação e dos demais direitos humanos que vimos realizando na Ação Educativa ao longo dos anos. A grande necessidade de se difundir experiências como a do Curso, aliada às possibilidades abertas pelas novas tecnologias, são fatores que nos animam a continuar aperfeiçoando nosso trabalho, para que atinjamos um público cada vez maior de educadores e militantes populares”.

O prêmio foi recebido pelas mãos da socióloga Margarida Genevois, de 87 anos, militante dos Direitos Humanos desde a resistência à ditadura militar. Atualmente, ela é integrante do Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos.

Premiados

Secretarias de educação, escolas, instituições de ensino superior e organizações sociais de todo o país, representantes das quatro categorias em que o prêmio estava organizado, enviaram seus projetos e somaram 228 trabalhos inscritos.

Foram premiados a Secretaria Municipal de Educação de Embu das Artes, na categoria “As Secretarias de Educação na Construção da Educação em Direitos Humanos”; a Escola de Educação Básica da Fundação Bradesco, na categoria “A Educação em Direitos Humanos na Escola Privada”; a Universidade do Estado do Pará, na categoria “A Formação, a Pesquisa e a Extensão Universitária em Educação em Direitos Humanos”; e o Centro de Apoio aos Direitos Humanos “Valdício Barbosa dos Santos”, na categoria “A Sociedade na Educação em Direitos Humanos”. O “Projeto Inclusive”, de Porto Alegre, recebeu a Menção Honrosa.

A cerimônia deste ano aconteceu em Brasília, no Salão Azul do Hotel Nacional, e contou com a presença do ministro Paulo Vannuchi, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), além de diversas representações de organizações que desenvolvem projetos educacionais para a difusão dos Direitos Humanos no Brasil.

O prêmio é realizado pela Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura, em parceria com a Fundação SM, o Ministério da Educação e a Secretaria Especial de Direitos Humanos da Presidência da República. Foi criado em 2008, em comemoração aos 60 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

Saiba mais sobre o “Curso Cidadania e Direito à Educação” acessando o blog do curso.

Saiba mais sobre o Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos na página da iniciativa







Última atualização em Qua, 15 de Dezembro de 2010 14:26
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar