Ação na Justiça
Papel da sociedade na luta por direitos é destaque no curso Educação e Direitos Humanos PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Qui, 24 de Maio de 2012 18:00

A Ação Educativa promoveu, no sábado (19), o primeiro encontro do curso Educação e Direitos Humanos. A formação, realizada em seis encontros aos sábados, conta com a participação de profissionais da educação, da área jurídica e da comunicação, militantes sociais, representantes de organizações não governamentais, e estudantes universitários/as.

O curso faz parte do projeto Formação em Direitos Humanos, uma realização da Ação Educativa em parceria com a Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, que vai oferecer outras capacitações relacionadas à educação, direitos humanos, questões étnicos-raciais e a direitos humanos no contexto dos adolescentes em conflito com a lei.

Na primeira conferência do curso, realizada no dia 19, o debate começou com a provocação da advogada constitucionalista e doutora em Direitos Humanos Eloísa Machado de Almeida, que questionou os/as presentes sobre o real significado da expressão Direitos Humanos.

Durante sua exposição, Eloísa apresentou Direitos Humanos como um campo de luta por dignidade, reforçando o seu caráter mutável e o protagonismo da sociedade para sua construção.

Em sua explanação, o economista, doutor em educação e coordenador de projetos estratégicos da Ação Educativa, Sérgio Haddad, deu ênfase ao direito humano à educação. Sérgio ressaltou que a escola, tal como está estabelecida, é herança do nosso modelo de desenvolvimento. Para ele. é preciso reafirmar que a realidade educacional de toda/o cidadã/ão está diretamente ligada a sua realidade socioeconômica. Nesse sentido, ele destaca que o grande desafio é pensar em uma escola emancipadora, que anuncie uma nova perspectiva de organização social.

No período da tarde, Salomão Ximenes e Ester Rizzi, que trabalham no programa Ação na Justiça, conduziram a exposição dialogada que abordou o tema “O reconhecimento da educação nos documentos internacionais de proteção de direitos”.

O principal objetivo desse momento foi apresentar parte do referencial ético-jurídico presente nos inúmeros pactos e tratados que inspiraram a construção das diretrizes nacionais, como os artigos das constituições federal, estaduais e municipais e também das leis orgânicas.

Com intensa participação de todo o grupo, questões como as necessidades especiais educacionais, o princípio da gratuidade na rede pública e a política de Ensino para Jovens e Adultos (EJA) foram amplamente discutidos entre os/as presentes.

Você pode acompanhar a formação Educação e Direitos Humanos no blog do curso e acessar todo o conteúdo apresentado durante os encontros.

Leia Também:

Ação Civil Pública exige oferta de educação noturna em presídio de SP

Divulgada lista de selecionados/as para o Curso Educação e Direitos Humanos

Ação Educativa conquista liminar contra cobrança de taxas nas escolas públicas de SP

Última atualização em Qui, 24 de Maio de 2012 18:11
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar