Ação na Escola
Indique contribui para fortalecimento de Conselho Escolar em escolas de Santos PDF Imprimir E-mail
Por Administrator   
Qua, 06 de Julho de 2011 11:46

Após realizar autoavalições proposta pelo Projeto Indicadores da Qualidade na Educação, escolas do munícipio começam a refletir seus conselhos; objetivo é garantir gestão com participação democrática.

 

A Secretaria Municipal de Educação de Santos tem buscado ampliar os processos de gestão democrática das escolas, vistos como um dos principais desafios do processo de autoavaliação do Projeto Indicadores da Qualidade da Educação – Indique, desenvolvido em parceria com a Ação Educativa. 

As avaliações realizadas mostraram que os pontos críticos referentes à gestão escolar estariam ligados ao fortalecimento do Conselho Escolar, à formação de Grêmios Estudantis e à reformulação participativa dos Projetos Políticos Pedagógicos das unidades escolares.

Dentre esses três pontos, o Conselho Escolar foi tomado como ponto de partida de atuação do Grupo Gestor, montado a partir da metodologia do “Indicadores da Qualidade”. O Grupo Gestor acompanha, atualmente, quatro escolas do Ensino Fundamental do município de Santos, que participam do projeto desde 2009.

A atuação nos Conselhos Escolares tem se revelado como “aposta da política municipal” para o estabelecimento da gestão democrática na educação, avalia Luís Serrão, assessor do Programa Ação na Escola, da Ação Educativa. Segundo ele, isso fica evidente pela criação do Grupo Articulador para o Fortalecimento dos Conselhos Escolares (GAFCE) no município.

Atualmente, um membro do GAFCE participa do Grupo Gestor que acompanha as quatro escolas participantes do projeto “Indicadores da Qualidade”.  “Essa é uma primeira experiência do GAFCE para além do mapeamento e do pleiteio da gestão democrática. Pode-se dizer que se trata de uma experiência piloto”, informa Luís.

Alunos do EJA também participam de avaliação

Santos foi um dos poucos municípios que organizou os horários das avaliações do “Indicadores da Qualidade” de forma a contemplar alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA), que estudam no horário noturno.

Pelo menos uma das três escolas que realizaram autoavaliação contou com a participação dos alunos dessa modalidade. As avaliações foram realizadas no dia 2 de junho e contaram com a participação de cerca de 200 pessoas da comunidade escolar.

“Achei a proposta de beneficiar os alunos da EJA bastante interessante, isso porque se criou uma cumplicidade entre alunos e professores o que permitiu um debate mais acalorado sobre os problemas da escola e suas possíveis soluções”, afirmou Luís, que acompanhou o processo de avaliação em Santos. Antes de Santos, a cidade de Ourinhos, no norte de São Paulo, já havia incluído alunos da EJA nas avaliações.

Última atualização em Qui, 24 de Novembro de 2011 12:57
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar