Cultura
Relatório sobre violação de direitos humanos destaca exploração de trabalho PDF Imprimir E-mail
Sex, 30 de Abril de 2004 21:00

A questão das violações aos direitos humanos no campo é o tema do relatório Derechos Humanos em el Campo Latino-Americano: Brasil, Guatemala, Honduras y Paraguay,lançado em 18 de abril pela Rede Social de Justiça e Direitos Humanos no Espaço de Cultura e Mobilização Social da Ação Educativa. Ele reúne dados produzidos por organizações do Brasil, Guatemala, Honduras e Paraguai em textos que explicitam as condições agrárias de cada país.
 
Apesar das particularidades regionais, de acordo com Aton Fon Filho, diretor da Rede Social de Justiça e Direitos Humanos, pode-se identificar problemas comuns nos países observados, assim como impactos semelhantes do avanço da agroindústria em cada um deles.

No que diz respeito ao Brasil, o documento traz uma análise sobre o agronegócio e as violências cometidas contra trabalhadores rurais, indígenas e atingidos por barragens. A expansão da indústria canavieira impulsionada pela produção de combustível recebe atenção especial no relatório. Segundo ele, entre 74 usinas investigadas pelo Ministério Público do estado de São Paulo em 2006, todas foram autuadas por desrespeito às leis trabalhistas e 6 pela utilização de mão-de-obra escrava.

O desafio para os movimentos sociais, tendo em vista os dados do relatório e aqueles levantados anualmente pela Comissão Pastoral da Terra – CPT, é propor políticas públicas que visem diminuir o número de conflitos no campo, como afirma João Paulo Rodrigues, do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra - MST.

O documento foi publicado pela Rede Social de Justiça e Direitos Humanos em parceria com a Via Campesina, a Rede de Ação e Pesquisa sobre a Terra e a Coordenadora Latino-americana de Organizações do Campo. Para Fon, trata-se de um primeiro passo para a produção de conhecimento sobre a violação de direitos humanos na América Latina.