Cultura
Dia Nacional do Grafitti PDF Imprimir E-mail
Sex, 30 de Abril de 2004 21:00

Desde 1988, 27 de março é comemorado como sendo o Dia Nacional do Graffiti, quando ocorre uma confraternização de todos os graffiteiros.

Nesta data, morreu o artista plástico Alex Vallauri, um dos pioneiros do graffiti no Brasil. Seus trabalhos tinham como propósito transformar a cultura em algo positivo e dar oportunidade a todos de questionarem a relação cidade-cidadão. “Transformar a cidade com uma arte viva, popular e induzir à efetiva participação da comunidade eis a minha intenção”, disse.

Após esta perda, seu amigo deputado Fábio Feldman, encaminhou ao Congresso Nacional um Projeto de Lei (PL) para instituir a data como o Dia Nacional do Graffiti. Entretanto, o PL nunca foi votado.

Isso não impediu que no ano seguinte a morte de Vallauri, o artista Maurício Villaça -- com o apoio de Júlio Barreto, Hudinilson Jr. e Ozéas Duarte -- promovesse a homenagem. Foi organizada uma grande manifestação no Circo Escola Picadeiro com participação de vários artistas e amigos. A partir daí, todos os anos eles reúnem-se para celebrar com a população da cidade o movimento Graffiti que tem a liberdade de expressão como sua máxima.

Vallauri é lembrado não apenas por ter sido um dos pioneiros dessa arte, mas por ter dado um novo sentido à pichação. Seus trabalhos romperam com o cinza das cidades e o cotidiano das pessoas, aproximaram a arte brasileira do povo na rua. Ele desmitificou o “fazer arte” e levou ao público a magia apaixonante, a surpresa esfuziante, a alegria e o riso que só conseguem transmitir os verdadeiros magos, queridos amigo desta cidade.

Exposição

A Ação Educativa também resolveu participar desta comemoração e homenagem. Para isso, com a colaboração de Celso Gitahy e outros artistas plástico, preparou uma programação de eventos especial para o mês de abril com o tema Graffiti.

O primeiro evento aconteceu exatamente no dia 27 de março, quando foi feita uma intervenção na fachada de um ateliê, na rua Fortunato, 236 - Santa Cecília. No dia seguinte, teve a abertura da exposição “Diversidade”, que reúne trabalhos dos artistas Tota, Órion, Tinho, Fefe, Ciro, Gejo e Zezão. Ela poderá ser visitada até 29 de abril na sede da Ação Educativa. Além disso, ao longo do mês ainda serão realizados um debate e três oficinas.

Os artistas também fizeram uma intervenção em um painel localizado no hall da Ação Educativa, onde diversos artistas pintaram sobre uma tela gigante.

Clique aqui para ver a programação completa.